7 conselhos incríveis para lidar com sua multipotencialidade (Parte II)

***Esse artigo é a segunda parte dos 7 conselhos incríveis para lidar com sua multipotencialidade. Leia aqui os primeiros 3 conselhos antes de continuar.

Agora que você já sabe da importância de ter um caderno para desenvolver suas ideias, criar uma lista com tudo que deseja fazer e entender que não precisa fazer tudo ao mesmo tempo, vamos às próximas dicas para abraçar sua multipotencialidade e atingir o seu melhor.

#4 – DESCUBRA QUAL A SUA RECOMPENSA

Por muitas vezes, pode parecer que você não termina as coisas que começa mas, na verdade, o que acontece é que você perde o interesse quando alcança a recompensa que buscava. O problema é que ao alcançar essa recompensa você chegou no fim para você, mas o seu fim é diferente do que outras pessoas consideram como fim. E, por causa disso, fica parecendo que você está desistindo quando, na verdade, você já atingiu o seu objetivo inconsciente com aquela atividade ou interesse.

Por isso, é importante que você procure identificar quando você perde o interesse pelas coisas que inicialmente te animavam muito. Para um especialista, terminar significa conseguir um diploma, trabalhar anos em uma mesma área ou se dedicar a vida toda a um projeto. Já para um generalista multipotencial como você, terminar é atingir o que você queria inicialmente com aquilo e a sua recompensa pode ser desenvolver habilidades, criar, resolver algum problema, explorar , ensinar, entre outras coisas.

Descubra qual a sua recompensa e, assim, quando você conseguir o que queria realizando alguma atividade ou projeto você saberá que chegou ao “seu fim”, não importando o que os outros consideram como fim. E, assim, você terá maior tranquilidade e deixará de sentir aquela familiar culpa de não ter “terminado o que começou”.

Para ter essa percepção, é importante conseguir diferenciar uma perda genuína da paixão por aquele projeto, área ou carreira, de problemas particulares e específicos com o que você está trabalhando no momento. Você pode estar desinteressado em escrever sobre um certo assunto, mas isso pode não querer dizer que você deva deixar de escrever o livro que sempre quis. Além disso, altos e baixos emocionais são normais, alguns dias acordamos mais desanimados para realizar certas atividades, mas isso não quer dizer que nunca mais iremos nos sentir bem ao realiza-las. Por isso, é importante saber distinguir essas situações.

#5 – PROCURE PADRÕES

Procure padrões entre seus interesses, paixões, áreas e projetos que quer realizar. Reconhecer esses padrões irá te ajudar a se conhecer melhor e a entender o que te motiva.

Uma forma de buscar esses padrões é através da lista que você irá criar com tudo o que deseja fazer. Passe item por item dessa lista e procure entender qual a “recompensa” que você busca em cada uma dessas atividades. O que você busca querendo aprender sobre esses assuntos e realizar esses projetos especificamente? Quando começar a questionar isso, provavelmente você encontrará padrões nessas respostas e conseguirá entender melhor o que te traz satisfação.

Para ir mais fundo, faça também uma nova lista. Esta com todos os projetos e atividades que você já realizou no passado, tudo o que você fez até hoje em sua vida. Analise essa lista e procure entender qual foi seu aprendizado em cada atividade. Por fim, busque entender porque você deixou de realizar essas atividades, porque saiu daquele emprego ou porque não levou para frente aquele projeto.

Não vale pensar que foi por preguiça ou algo do gênero porque você já sabe que seu cérebro funciona buscando recompensas nesses projetos e, se você perdeu o interesse, é porque conseguiu essa recompensa de alguma forma. Então, analise mesmo o que houve e, dessa forma, você encontrará mais padrões que poderão te ajudar no futuro a lidar com novas situações.

multipotencialidade

#6 – FIQUE EM PAZ CONSIGO MESMO

Fique em paz com sua vontade de mudar, de estar em constante movimento, de aprender de tudo um pouco e de querer realizar muitas coisas diferentes. Só o fato de conhecer o conceito de multipotencialidade e saber que existem outras pessoas como você já é um alívio. Então, abrace essa multipotencialidade e aceite que você é assim, pare de lutar consigo mesmo.

Existem pontos negativos em ser multipotencial, mas existem muitos pontos positivos (já comentei sobre alguns aqui http://renatalapetina.com/13-sinais-de-aviso-que-voce-e-multipotencial/). Procure mudar o seu foco de terminar projetos da forma como nossa sociedade especialista considera correto para conseguir a “recompensa” que você busca em cada coisa que faz. Busque ter uma atitude aberta e de experimentação e lembre-se que muitas habilidades são transferíveis entre áreas e assuntos. É normal querer mudar de caminho e você pode usar tudo o que aprendeu até agora realizando algo totalmente diferente. Aceite isso e pense como uma vantagem para você.

#7 – NÃO SE IMPORTE COM O QUE PENSAM

Sei que esse conselho é muito fácil de ser dado, porém extremamente difícil de ser seguido. Mas é sempre bom fazer o esforço consciente de não se importar com a opinião alheia. Crie a sua própria definição de sucesso e não busque atingir o sucesso de acordo com outras pessoas. Isso só vai te fazer mal.

Agora que você teve acesso à diversas informações interessantes e legais sobre como lidar com sua multipotencialidade e sobre como você não é a única pessoa no mundo que vem sofrendo com isso, confie em você mesmo. Confie que suas ações são as melhores para você. Confie que você não precisa ser igual a todo mundo para ser bem sucedido ou aceito ou o que quer que seja. Seja você, independente do que pensem ou digam.

BÔNUS: CONHEÇA E CONVIVA COM PESSOAS QUE SÃO COMO VOCÊ

Esse é um conselho bônus! E eu estou trazendo para você uma forma de coloca-lo em prática!

Procure conviver com pessoas que pensam como você, entendem seus problemas e suas vitórias e que te mostram que não é impossível ter vidas diferentes das tradicionais e carreiras que não são fundadas em ser um expert. Assim, você se sentirá menos isolado, mais motivado a buscar o que realmente quer e não se conformará com uma vida que não faça sentido para você.

Para iniciar uma mudança de vida ou atingir um objetivo que pareça impossível, precisamos estar em contato com pessoas que pensam como nós, nos incentivam e nos mostram que isso é possível sim.

No Brasil, não se fala muito sobre multipotencialidade ou em como lidar com os dilemas que ela nos traz. Pensando nisso, criei um grupo no facebook que será dedicado exclusivamente a isso, a falar sobre multipotencialidade, seus pontos positivos e negativos. E também que irá conectar multipotenciais do Brasil inteiro. Te convido a participar desse grupo! Vamos nos unir e nos ajudar a vencer os obstáculos e realizar todo e cada projeto que desejamos como multipotenciais!

Entre para a comunidade de Multipotenciais do Brasil aqui.

***Essa é a segunda parte deste artigo. Para ler a primeira, clique aqui.

_______________________________________________________

Inscreva-se no Mini Curso de Boas Vindas do Multipotenciais do Brasil! Você vai descobrir como Harry Potter, roteiros, clones, filmes e cisnes vão te ajudar a ter mais clareza, confiança e mostrar sua essência para o mundo. Nesse curso por e-mail você recebe conteúdo exclusivo 100% gratuito e exercícios práticos editáveis. Vem!

 

Fontes:
http://puttylike.com/now-what/
http://puttylike.com/3-things-i-didnt-have-time-to-say-in-my-ted-talk/
http://puttylike.com/what-if-i-lose-interest/
http://puttylike.com/why-you-shouldnt-finish-what-you-start/
Refuse to Choose! – Barbara Sher

Renata Lapetina

Renata é coach, escritora e internacionalista. Criadora do Programa O Que Quero Ser Quando Crescer, sua missão é inspirar pessoas a fazerem o que amam.

Leia também

2 Comments on “7 conselhos incríveis para lidar com sua multipotencialidade (Parte II)

  1. Oi Renata, obrigado pelo texto.
    Esse junto com o primeiro sobre multipotencialidade.
    Tenho 26 anos, trabalho desde os 16 e estou desempregado a 1ano e 5 meses.
    Me identifiquei demais com todos os pontos, mas o que me deu até flashback foi o de perder o interesse, só que é algo que eu simplesmente acordo um dia olho pra rua e penso po eu seria mais feliz se trabalhasse no camelô, na época com 19 anos ganhando um pouco mais de 3mil por mês e viajando o Brasil inteiro, o sentimento de enjoo foi aumentando eu sabia que o salário era excelente meus colegas eram legais, e meu chefe gostava de mim.
    Então eu mesmo começo a me sabotar, chego atrasado (porque já não me importo com o trabalho ali e cada dia que passa me vejo mais no camelo ou fazendo curso de história ou filosofia) moral da história sai do trabalho e não fui pro camelo e acabei trabalhando em uma fábrica têxtil por 2 anos salário de 3mil foi pra 800reais e incrivelmente eu era mais feliz (por um tempo) e logo enjoei é assim que vai minha vida.
    Depois disso aconteceram casos similares enfim em 10 anos trabalhei em 7 empresas… Não faço ideia do que eu gosto, me formei em logística, escrevi mais de 5 contos, tive canal no YouTube, administrei páginas de fb, escrevi sobre jogos pra sites especializados, tive um Xbox e ps3 e em ambos também senti a necessidade de sugar ao máximo o videogame e experimentar o maior número possível de jogos(vendi quando percebi que estava impactando na minha vida), ATÉ DE NAMORADAS eu enjoo depois de deixar de ser novidade e começo a arquitetar tudo para eu dar um pé na bunda….

    Escrevi demais linhas meio desconexas mas precisava desabafar obrigado Renata!

    1. Oi Luke! De nada! Que bom que gostou!
      Entendo sua situação. Acho que o principal no seu caso é buscar autoconhecimento. Refletir sobre o que gosta de fazer, quais são seus talentos, o que você visualiza para o futuro. Para aí poder buscar algo que possa materializar tudo isso.
      Esse livro que escrevi pode te ajudar: http://renatalapetina.com/livros/trabalhe-com-o-que-ama-ser-feliz/
      E não deixe de conferir o blog que criei com conteúdo especial para quem é multipotencial: http://multipotenciais.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *